Conceito de Suor

SuorO suor é uma secreção corporal produzida por glândulas sudoríparas, composta de águas e sais, principalmente por sódio e cloro.

Este líquido é produzido em resposta ao estímulo do sistema nervoso e em algumas alterações hormonais. A principal condição causadora do suor acontece durante um exercício ou atividade física, da mesma forma que ocorre quando há aumento da temperatura ambiental. Em ambos os casos, a produção do suor se deve a um mecanismo que permite irradiar calor e diminuir a temperatura corporal.

Condições como estresse e ansiedade podem levar ao aumento do suor em locais específicos como a palma das mãos.

O suor cumpre várias funções no organismo

A produção de suor acontece no organismo com a finalidade de obter vários efeitos como a manutenção da temperatura corporal evitando que esta aumente, elimine substâncias e produtos de resíduos do metabolismo, lubrificar a pele e criar uma barreira protetora contra microrganismos como algumas bactérias.

O suor é produzido por dois tipos de glândulas sudoríparas: as écrinas localizadas em todo corpo e as apócrinas que se encontram nas axilas, ínguas e genitais. As glândulas apócrinas produzem um tipo de suor com um cheiro bem mais forte, esta composição é diferente e apresenta substâncias como os feromônios que são componentes capazes de ativar a resposta sexual no sexo oposto.

Qual é a quantidade de suor considerada normal?

Não existe um parâmetro definido em relação à quantidade normal de suor, isso varia dependendo das condições corporais, da temperatura ambiente, do grau de hidratação e até mesmo do estado emocional.

O que se sabe é que existem diferentes graus de suor, no entanto, nas situações em que a produção do suor é escassa ou inexistente, como também em casos opostos em que o suor é considerado abundante e molhe toda a roupa ou pingue de forma significativa as mãos, o rosto, o pescoço e as axilas, assim, estamos diante de uma situação anormal.

O excesso de suor, conhecido como hiperidrose, é um transtorno hereditário devido a uma hiperatividade das glândulas sudoríparas, acompanhada de certos distúrbios como ansiedade, problemas de tireoide, doenças cardíacas e do sistema nervoso, inclusive do uso de alguns medicamentos relacionados a certos de tumores.

Em certas ocasiões, a hiperidrose torna a vida da pessoa desconfortável e leva à necessidade de aplicar tratamentos além de antitranspirantes, como o uso de correntes elétricas que servem para fechar os poros, aplicação de toxina botulínica para bloquear o estímulo produzido pelos nervos que induzem ao suor, inclusive cirurgias para eliminar as glândulas sudoríparas.

O suor também é estudado no laboratório

O estudo da análise química do suor permite o diagnóstico de uma doença chamada Fibrose Quística, na qual existe uma alteração de todas as glândulas do organismo. Nestas pessoas, o suor contém altos índices anormais de eletrólitos, principalmente o sódio.

Este exame é específico e confirmatório da doença. Deve ser feito em crianças suspeitas, por exemplo, pela presença de sintomas como diarreias, desnutrição e infecções respiratórias frequentes, assim como nos familiares dos pacientes com fibrose quística, uma vez que se trata de uma doença hereditária. Para isso, as mostras de suor são examinadas em lavatórios especiais.

>> Próximo - Que Conceito >>


Para citar no seus trabalhos (Norma ABNT):

Suor. QueConceito. Sao Paulo.
Disponível em: < http://queconceito.com.br/suor >. Acesso em: [data-na-qual-o-artigo-foi-visto]

Relacionados Suor