Conceito de Resistência à Insulina

A resistência à insulina é uma condição cada vez mais frequente na população geral. Ela não afeta somente os adultos, lamentavelmente, todos os dias há mais casos de adolescentes com esse problema. Ele se deve à adoção de um estilo de vida pouco saudável na qual o sedentarismo se encontra dentro de uma alimentação rica em carboidratos e gorduras.

Alteração do metabolismo e a necessidade de controle

Trata-se de uma alteração no metabolismo na qual os tecidos são resistentes à ação de um hormônio conhecido como insulina. Normalmente, esta substância é produzida no pâncreas e liberada como resposta dos açúcares presentes nos alimentos, com a finalidade de manter dentro dos limites normais os níveis de açúcar no sangue. Cada vez que ingerimos carboidratos a insulina é liberada, este hormônio ativa os mecanismos de transporte fazendo com que o açúcar passe do sangue para o interior das células e assim ser utilizado como fonte de energia. Se não são acionados neste momento, as células do fígado se transformam em glicogênio, uma forma de armazenamento que se encontra disponível para ser usada diante de certas condições, tal como o jejum.

Quando a ingestão de carboidratos é excessiva as células buscam uma forma de não sobrecarregar-se e começam a ser resistente à insulina, ou seja, o pâncreas começa a liberar cada vez mais insulina para manter os níveis de açúcar no sangue dentro dos limites normais até que chega um momento que não se consegue mais, por isso aumenta a glicemia e desenvolve a pré-diabetes e a diabetes.

Relação entre resistência à insulina e diabetes

O diabetes é uma doença complexa que tem várias causas diferentes, uma delas é a resistência à insulina. Com o passar do tempo, o pâncreas fica sobrecarregado pela necessidade de produzir cada vez mais quantidades de insulina; o que finalmente esgota sua reserva e leva a uma diminuição de sua produção, fazendo com que aumentem os níveis de açúcar no sangue.

Então, pode-se dizer que quando a resistência à insulina não é tratada podemos desenvolver o diabetes.

Consequências para o organismo

O desenvolvimento da resistência à insulina resulta numa série de mudanças no organismo que vão originar manifestações apenas nas mostras dos exames de laboratório sem que existam sintomas associados.

A resistência à insulina é capaz, da mesma forma que o diabetes, gerar uma série de alterações nos vasos sanguíneos relacionados ao desenvolvimento da aterosclerose, em longo prazo, podem aparecer complicações como infartos, cegueira, falha nos rins, alteração na circulação das pernas e o desenvolvimento de uma dor crônica como é o caso da neuropatia diabética.

Imagem: iStock, verve231

>> Próximo - Que Conceito >>


Relacionados Resistência à Insulina