Conceito de Raciocínio Lógico

A lógica é uma ciência auxiliar, isso significa que proporciona um conhecimento útil às outras disciplinas e ao saber em geral.

A lógica traz uma estrutura formal que faz parte dos processos mentais do entendimento. A estrutura formal da lógica é formada a partir de uma série de leis, regras e princípios lógicos que são considerados válidos, sem os quais o pensamento racional não teria sentido. Em relação às regras da lógica, as mais conhecidas são as seguintes: lei da identidade, lei da não contradição, lei do meio excluído, regras de inferência ou princípio da razão suficiente. Estas regras e outras mais permitem que possamos argumentar com raciocínio lógico. Em outras palavras, para que as ideias tenham coerência e certa ordem é imprescindível que uma argumentação seja baseada em um raciocínio lógico.

Raciocínio Lógico no Direito

No campo jurídico, as leis são o marco de referência através do qual se estabelece uma ordem que regula a atividade social. Estas leis são utilizadas por juízes e advogados, assim como por todos aqueles que participam de qualquer atividade legal. Para que as argumentações utilizadas sejam consistentes e válidas devem ser regidas por um raciocínio lógico.

Bases da estrutura jurídica

É possível falar de um raciocínio lógico no campo jurídico quando são respeitados os princípios fundamentais do direito. Por outro lado, há uma série de elementos técnicos que fazem parte do raciocínio lógico jurídico: a construção de hipótese, exposição de um problema, coerência interna de dados ou provas, relação causa-efeito, etc. Tudo isso a partir de uma análise dedutiva (que vai do geral para o particular) ou de uma análise indutiva (que vai do particular para o geral).

Assim, o raciocínio lógico jurídico é aquele que serve para argumentar algumas ideias com certa finalidade. É o caso de um juiz que dita uma sentença ou de um advogado para defender seu cliente.

Um exemplo significativo

Para ilustrar o conceito raciocínio lógico, vale a pena apresentar um exemplo, mais específico do raciocínio lógico baseado no método indutivo. Há um observador que percebe existência de uma formiga de cor preta e em seguida observa que outras formigas também têm a mesma cor. Desta maneira, ele tira a conclusão de que todas as formigas são pretas. Neste caso, a ideia afirmada na conclusão se fundamenta em cada uma das observações concretas realizadas. Este raciocínio lógico é válido, mas caso surgisse uma formiga de outra cor deixaria de ser.

Enfim, qualquer ideia, argumento, debate ou análise possui um aspecto interno que não é possível evitar: o raciocínio lógico.

Foto: iStock, baona

>> Próximo - Que Conceito >>


Para citar no seus trabalhos (Norma ABNT):

Raciocínio Lógico. QueConceito. Sao Paulo.
Disponível em: < http://queconceito.com.br/raciocinio-logico >. Acesso em: [data-na-qual-o-artigo-foi-visto]

Relacionados Raciocínio Lógico