Conceito de Necrofilia

NecrofiliaO conhecimento humano mostra que há sempre exceções à regra, existem certos comportamentos de diferentes índoles ao ponto de atitudes que vão contra a ética e as normas que regem a relação entre o bem e o mal. Uma das ações censuráveis relacionadas à moral é necrofilia. Este transtorno faz parte de um padrão de comportamento sexual em que a principal fonte de prazer é um bem externo. Existem diversos tipos de comportamento sexual rotulado como parafilia: o masoquismo, o sadismo, o exibicionismo, o voyeurismo, a zoofilia, a coprofilia e o fetichismo.

Neste artigo vamos analisar da necrofilia. Trata-se de um comportamento sexual de uma pessoa que sente atração sexual por cadáveres. É um transtorno de comportamento rotulado como uma perversão ou desvio sexual que não respeita a dignidade das pessoas. A pessoa com comportamento de necrofilia mantém relações sexuais com o cadáver de uma pessoa falecida. Do ponto de vista geral, a necrofilia mostra a excitação que uma pessoa sente ao observar um cadáver, ao ter contato físico ou até mesmo o simples fato de imaginar uma determinada situação em que o objeto de desejo é o cadáver de uma pessoa.

O termo necrofilia foi criado pelo especialista Alexis Epaulard no ano de 1901. Foi ele quem utilizou este conceito para referir-se ao desejo e às relações sexuais entre uma pessoa viva e outra morta (que logicamente não tem nenhum tipo de decisão no ato e na vontade). Aquele que comete um ato de necrofilia vulnera os direitos de uma pessoa falecida que merece respeito e dignidade. Portanto, o cadáver da pessoa é utilizado como se fosse um objeto. É importante destacar que esta atitude não é apenas imoral, ou seja, que vai contra os princípios morais; do ponto de vista da justiça social, é um ato totalmente ilegal que deve ser penalizado como um crime que vai contra a lei e por isso é merecedor de um castigo.

>> Próximo - Que Conceito >>


Relacionados Necrofilia